sexta-feira, dezembro 31, 2004

Alarvo do mês

Olá malta. como prometido trago aqui os resultados do alarvo do mês. O publico escolheu o Bagão, mas não posso deixar de referenciar os bons argumentos apresentados em favor do Pai Natal. É sem dúvida um grande alarvo o pai natal.

Porém o caso do BG é sintomático. Como é que ele se atreve a fazer frente aos bancos? pagar os impostos devidos? sigilo bancário? wake up BG! Não fica bem faltares ao respeito a quem manda no país! Depois admira-te que os governos caiam...

Como se não bastasse, não quer que os clubes comprem reforços. Ó Bagão, com esta crise, se nos falta o futebol falta-nos tudo!

Boas entradas para todos vós. Eu vou para África

Até para o ano!

segunda-feira, dezembro 27, 2004

Vamos a votos!



Olá malta!

Depois de ausente destas lides por motivos de força maior (andei na apanha do grelo), estou de volta na tentativa de fechar o ano em beleza.

Tenho andado em dificuldade para eleger o alarvo do mês de Dezembro dado o empenho de muitas individualidades nesta altura. Por isso mesmo, opto por perguntar aos leitores, da pré selecção por mim feita, quem terá a honra de ostentar o título de alarvo do mês.

Assim começo pelo Pai Natal e menino Jesus por razões óbvias. O primeiro porque passa a vida nos centros comerciais sentado a falar com os putos, vê-lo a trabalhar que é bom, nada! O menino Jesus já tem idade de reforma!

Segue-se Bibi e Carlos Cruz. Palavras para quê? O primeiro desatou a dar com a boca no trombone. É um espectáculo dentro do próprio espectáculo. O segundo por meter os pés pelas mãos sempre que fala à comunicação social. O gajo ainda não aprendeu que para dar uma de inocente, tem de esperar que lhe perguntem algo, é meio suspeito estar sempre a meter conversa com os jornalistas…Aaah, se apagasse a palavra “pedófilo” da testa também ajudava!

Bagão Félix também é candidato a alarvo do mês. Deve ser o único lampião à face da terra que não quer comprar jogadores.

Toca a votar! No dia 31 publico os resultados. Inté

quinta-feira, dezembro 09, 2004

Amigo secreto


Peninsula de Kamtchaka, Sibéria. Dezenas de vulcões "alegram" esta região...

Alarvo – hoje fiz o amigo secreto lá no trabalho. Nunca tinha feito. Porém preferia que todos comprassem prendas e no próprio dia do jantar de Natal tirássemos à sorte. Assim ficamos a saber quem vamos oferecer e assim poderemos comprar uma prenda mais em consonância com a pessoa. Não é descabido não senhor...
Gajo qualquer – ya, tem os prós e contras. Quem te calhou?
Alarvo – a minha colega estupida que passa a vida a fuder-me.
Gajo qualquer – lol, já pensaste no que lhe vais oferecer?
Alarvo – opá tou indeciso. Tanto pode ser um gel lubrificante para ela me fuder com mais jeitinho; um full set de dardos com a minha foto no alvo para ela se entreter lá em casa ou ainda um bilhete de ida pá sibéria.
Gajo qualquer – epá, o gel não, ela pode levar a mal!
Alarvo - pois pode é melhor não!
Gajo qualquer – e alguem tirou o próprio nome?
Alarvo – eu tirei! Como fui o terceiro a tirar fiquei a saber que os dois primeiros colegas que tiraram não me vão oferecer nada
Gajo qualquer – o pior é se o ultimo tira o próprio nome
Alarvo – pois havia que repetir tudo. Vá lá que somos poucos
Gajo qualquer – imagina lá se repetissem o processo e o ultimo voltasse a tirar o próprio nome? E voltasse a repetir e acontecesse o mesmo?
Alarvo – 3 vezes?
Gajo qualquer – sim...
Alarvo – em primeiro lugar acho que já bebeste muito. Em segundo lugar tenho a dizer o seguinte: sabendo que no minimo alguns milhões de PME’s; departamentos ou grupos de colegas em grandes empresas fazem o amigo secreto em todo o mundo todos os anos; sabendo que num grupo isolado a probabilidade disso acontecer 3 vezes seguidas é no máximo a razão de 1 sobre 10 elevado a uma potência de no minímo 10 . agora saberei o que fazer nas noites de insónia. Rever os manuais de estatistica e argumentar as estimativas de dados necessários para o cálculo vai-me dar luta. Mas adiante, posso dizer com elevado grau de confiança, que nos próximos milhões de anos algo semelhante provavelmente não voltará a acontecer...
Gajo qualquer – é provável...
Alarvo – pois é. Mais vinho?
Gajo qualquer – força!!!

domingo, dezembro 05, 2004

Primeiro balanço

Brasil

Olá pessoal!

Hoje venho prá aqui dissertar sobre as razões que me levaram a criar um blog. Em primeiro lugar acho que vim preencher uma lacuna na blogosfera. Pura e simplesmente não havia blogs de alarvidades, há de politica, de bola, erotismo, viagens, literatura mas não de alarvidades.

Outra razão prende-se com o gajedo. Faz 3 meses que aqui ando e ainda nem uma se deixou encantar por mim. O que me faz impressão, é que andam aí alarvos de primeira apanha que se metem a escrever poemas, comentar pinturas e o catano e levam as miudas todas! Eu pergunto porquê?

Meninas! O que vos leva a pensar que um gajo qualquer que escreve poemas, admira pintura e sei lá mais o quê, possa ser mais romântico, apaixonado ou menos cabrão ou filho da puta com as mulheres que os que falam de bola, politica ou mesmo alarvidades?

Os meus colegas poetas bem me dizem “és grande Alarvo, mas devias escrever um poema de vez em quando pois isto está a ficar dificil de tomar conta de tanta mulher, todos os dias temos a caixa cheia de mails de miudas que nos mandam fotos e querem se encontrar e o caraças. Andamos sem mãos a medir! Ajuda-nos alarvo!”

Fiquei sensibilizado e como tal, pus-me a pensar e eis que vos apresento o meu primeiro poema:

Dias de Verão

Marés vivas,
Ondas de paixão
Benditas pívias
Que me curam a tesão

Deitado na areia
Vendo as miudas passar
A maré está cheia
Fui à água desanuviar

Vieste ao meu encontro
Com teu sorriso de cama
Fui ao teu encontro
Com meu sorriso de cama

Lindo bronzeado
Cheiro corporal
Fiquei extasiado

Senti-me maioral

quinta-feira, dezembro 02, 2004

Despedida


Europa, meados do séc.XXI

Olá pessoal! Como tenho andado sem saber o que postar, hoje decidi ensaiar uma despedida. Tenho visto pela blogosfera algumas despedidas e deixem-me dizer-vos, são todas uma grande tanga. Muitas deixam a sensação de dever mal cumprido, outras são completamente insensíveis ao leitor, uns ainda têm a lata de dizer que estão em manutenção ou voltam em não sei quantos dias...

Pois eu não quero “morrer” assim.

Para tal ensaio hoje uma despedida esperando dos leitores comentários acerca da foto e texto de despedida, sugestões de melhoria, análise SWOT, whatever!

Despedida:
Adeus, tchau, quiçá até breve. Hoje decidi por termo a uma ligação que dura várias décadas. Entendam-na como uma rescisão de contracto unilateral. Vou-me embora para nunca mais ser visto. Se voltarem a ouvir falar do alarvo, será apenas a comunicação social a querer lucrar com a minha imagem. O alarvo acaba aqui para nunca mais dar um ar de sua graça.

Ao longo destas décadas liderei golpes de estado, fui eleito sex symbol algumas vezes, ganhei um big brother, ganhei o prémio nobel da paz, a minha igreja é cotada nas maiores bolsas mundiais, enfim... Sinto o dever cumprido

Foi um prazer dar-vos a honra de acederem ao meu espaço. Não se deixem abater. Nem pensem em suicidos colectivos que não vos vou acudir. Não percam tempo a criar mais clubes de fans do que aqueles que já tenho.

Inté!

quarta-feira, novembro 24, 2004

Noitadas na Europa Central


Embaixada da Grécia, Varsóvia, Agosto 2004

Olá malta. Hoje abro aqui um espaço turistico no qual dou dicas importantes de monumentos, museus e cenas desse género para verem quando vos der a triste ideia de ir aos mesmos sitios que eu. Para poupar trabalho, nada como postar pela segunda vez um texto da minha autoria. Da primeira vez que postei este texto ainda não era o alarvo que sou hoje, não era no alarvidades, mas já sentia o bichinho em mim, de modos que, o estilo inconfundível está lá!

Pois então, eu e um colega démos um pulo à rep checa e à polónia. Aquela gente ofende-se se lhes disserem que são europa de leste. Ainda se fossem sensíveis mas são brutos comá m**da...

Chegámos a Praga. Montes de turistas, um sufoco. Ainda por cima apanhei as noites de segunda e terça-feira, nem apanhei aquilo a dar-lhe forte e feio. “Siga pá polónia, que tou farto de italianos” exclamei. Seguia-se Cracóvia, outro possível mar de turistas, e o choque cultural que procurávamos tardava em chegar. Como tínhamos de mudar de comboio em Katowice, decidimos por lá pernoitar.“não vão!!” diziam as simpáticas polacas, “aquilo não tem nada!”. “ai é? Tão bora lá!” ripostei. Foi muito bom, erámos os únicos turistas na cidade, tivémos o melhor jantar polaco das férias, com shots à borla de vodka e ainda nos deram a mesa vip para ver na TV Wisla Cracóvia - Real madrid. Até chamámos nomes ao figo, foi lindo.

Seguiu-se Cracóvia. Muito giro e tal mas uma noite chega. Muito turista. Wroclaw: cidade muito simpática com menos turistas. Muita coisa para ver dentro e fora do centro histórico e ainda por cima apanhámos as noites de sexta e sábado a bombar e sem italianos!

Domingo. Não há comboio para Praga. Decidimos ir para uma cidade junto à fronteira (ainda pior do que Katowice) para passar a noite. Tudo corria bem e deveríamos estar lá a chegar quando descobrimos que o comboio afinal seguia para Varsóvia...

PS: das inúmeras fotos que tirei na viagem optei por postar esta em alusão aos nossos amigos gregos. Como podem ver, um anónimo transeunte presta homenagem aos campeões da europa.

sábado, novembro 20, 2004

Conversa com "servidora"



Ao telefone:
Alarva da informática – …deixe cá ver, o nosso servidor criou automaticamente uma conta de e-mail para receber os mails que vão com endereço errado…
Alarvo – automático? Ninguém o mandou?
Alarva da informática – não mas a gente sabe que ela existe. Vamos fazer assim, configure no seu pc este mail com a seguinte user e password…pode ser que tenha mensagens que deveriam ter sido recebidas por vocês. São 17 que tenho aqui ao todo.
Alarvo – ok, espere um momento…
Alarva da informática – sim...
Alarvo – estou a receber.... Isto tem muitos vírus pelo que vejo dos "subject" e dos “clips” de attach mas apenas de 2 kps ou assim. mas vocês aí bloqueiam isso tudo não?
Alarva da informática – aaah, sim claro.
Alarvo – excepto aqueles que o antivírus não detecta certo?
Alarva da informática – pois, também não queremos tirar trabalho aos hackers certo?
Alarvo – claro, já basta o desemprego que temos neste país... Nunca falei consigo. É nova na empresa?
Alarva da informática – sim. Entrei há duas semanas. avise-me quando isso entrar tudo.
Alarvo – tá a entrar… devagarinho…
Alarva da informática – sim, que entre com muito carinho
Alarvo – fiz umas festinhas no pc para ele relaxar. 15, 16… 17 mensagens! Aaah. Entrou tudo!
Alarva da informática – você é fresco. Também sabe ser quente?
Alarvo – desde que me aqueçam...
Alarva da informática – explique-me como.
Alarvo – você já o faz muito bem. Basta ouvi-la ao telefone. Tem uma voz muito quente.
Alarva da informática – engraçado... Eu também adoro a sua. E também sei que o resto condiz com a voz.
Alarvo – sabe quem eu sou?
Alarva da informática – claro. Já perguntei ao meu chefe quem era o chato que tem sempre problemas no mail… no bar ele fez-me sinal quando você veio fumar o cigarro das 11 horas
Alarvo – que coincidência. Eu também pedi ao meu colega da qualidade para me indicar quem era a novata da informática que nunca me resolve os problemas do mail. Fiquei a saber que a sua voz também condiz com o resto.
Alarva da informática – acredita em coincidências?
Alarvo – não e você?
Alarva da informática – claro que não. E o que vamos fazer em relação a isso?
Alarvo – muito simples. Encontramo-nos às seis e meia nas bombas da galp ali à frente. Eu tenho um 206 preto. Você deixa ali o seu carro e vem comigo beber um copo.
Alarva da informática – seis e um quarto que eu vou já pirar-me daqui
Alarvo – ok, até já!
Alarva da informática – até já!

continua...

PS: para esclarecer alguns leitores, quero frisar que tudo o que relato aqui é produto do meu imaginário. eu apenas gosto de fazer parte das histórias que conto, assim o alarvo é a minha personagem. sou doente é certo, mas não brinco nem com a minha nem com a privacidade dos outros.

quinta-feira, novembro 18, 2004

Leilão



Andei a arrumar a tralha aqui em casa em encontrei uma série de coisas velhas que detestaria mandar fora. Passo a explicar. Sempre que convido uma miuda a vir aqui a casa ver a minha colecção de selos gostam tanto que, por via das dúvidas, adoptam a velha táctica de deixar pertences para cá voltarem. Pois, mas comigo lixam-se com essa conversa, pois já caí uma vez e não caio mais.

Para quem ainda está à nora, explico-me melhor. Vêm cá, e deixam por exemplo, um par de óculos e depois ligam com voz ingénua:
Miuda – Estou sim? Alarvo? Olha, eu ontem deixei aí uns óculos. Dá para passar aí?
Alarvo – Miuda? Que miuda?

Ou
Alarvo – Óculos? Não vi óculos nenhuns!

Ou então
Alarvo – Óculos? Mas tinhas dito que eram para mim! Disseste que era uma prenda tua para o teu melhor amigo! Não? Aaah, agora são meus não quero saber! Nah nah!

Ou ainda a melhor de todas
Alarvo – pchpch, a ligaç... ...ou sem red... pchpch a chamada vai cai...pchpchtuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuu

Adiante, tenho então aqui uma série de itens femininos que levarei a leilão pela módica quantia de 1 euro cada: óculos escuros, calças, elásticos pó cabelo, brincos, lingerie diversa, maquihagem, uma bota, malas, chicotes, algemas, capacete, etc...

O leilão vai ter lugar na minha casa sexta à noite. Como cortesia haverá ainda bar aberto. Por isso meninas apareçam, vai ser giro!

terça-feira, novembro 16, 2004

Nah, nah, sai à mãe!



Hoje a alarva da minha colega da contabilidade, levou lá a filha de 6 meses ao bules:
Chefe – é a cara do pai...
Secretária – é mesmo.
Gaja da qualidade – nah nah, sai à mãe!
Tipo da produção – não, sai ao pai!
Croma da engenharia – achas? claro que sai à mãe!
Alarvo – epá, é a cara do carteiro...

domingo, novembro 14, 2004

Desculpem lá pá


In "http://www.sorryeverybody.com/"

Este site tem como fim possibilitar aos americanos dizerem ao mundo o quanto lamentam a vitória de bush nas ultimas eleições. É bastante pretensioso dado que esta gente deve pensar que no resto do mundo as pessoas não fazem mais nada a não ser pensar nos EUA. Algumas preocupam-se sim, mas porra, temos mais que fazer. Mas o que conta aqui é a intenção, e esta nem é má de todo. Parece que há americanos que se importam com o que nós possamos pensar deles. Afinal de contas, se escolhem aquele alarvo para presidente, não podem ser muito inteligentes certo?

Mas também nos é permitido participar. Como? Enviando uma imagem com uma mensagem de apreço ou algo do género. Supostamente a nossa mensagem será publicada, isto se não for censurada. Vejam a secção das FAQ para entenderem o que vos digo. Eu não resisti e acabei por enviar uma foto com a seguinte mensagem:

“Don’t be sorry. Some of us know how to distinguish ignorant, disrespectful from other cultures, so called “freedom” supporters Americans from normal people like you and me. I’m positive you don’t have a clue, but we have that too in Europe, politicians acting as stupid as bush. Many of us are seeing Americans as religious fanatic like ayatollahs. Don’t let religion take over common good sense.
Warm regards from Portugal. Take good care of me when I visit you next year!”

Deve ser censurada mas adiante... Cliquem na secção gallery e deliciem-se com a carinha triste dos americanos